segunda-feira, 26 de julho de 2010

Arraiá Nuclear das Vilas

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Dilma: Interiorizar o ensino superior é decisivo para desenvolver o país


A interiorização do ensino superior é uma ação decisiva para o Brasil avançar no caminho do desenvolvimento sustentável, avaliou hoje (20) a candidata Dilma Rousseff. Em entrevista no estúdio da rádio Terra, em Montes Claros, no norte de Minas Gerais, a candidata disse ser esse um desafio que deve ser visto como uma solução para ampliar o acesso à educação no Brasil, um país com mais de 5,5 mil municípios.

A educação, lembrou Dilma, é um dos temas centrais de seu proposta de governo e engloba ações de fortalecimento do ensino básico às universidades, passando pela expansão do ensino técnico. Ela reafirmou o compromisso de implantar escolas técnicas em municípios acima de 40 mil habitantes, favorecendo a proximidade entre o aluno e a escola.

“Nós queremos que ele [estudante] more junto do lugar que ele estuda, na maioria dos casos. Por isso é que nós queremos interiorizar o ensino. O Brasil só vai para frente se tiver universidades abertas, se tiver escolas profissionalizantes”, afirmou.

Redução das desigualdades regionais

Dilma cumpriu hoje uma agenda mineira, que começou em Uberlândia, no Triângulo Mineiro. Montes Claros, com mais de 300 mil habitantes, é cidade-pólo do Norte do estado, onde está o Vale do Jequitinhonha, que sempre registrou indicadores sociais muito baixos. Dilma ressaltou que vai trabalhar, se eleita, para reduzir ainda mais as desigualdades sociais e promover um desenvolvimento equilibrado das regiões do País.

Para avançar com esse projeto, Dilma ressaltou a importância de um trabalho integrado com estados e municípios. Ela destacou a importância da aliança feita com o PMDB em Minas, efetivando a chapa ao governo de Minas, encabeçada pelo ex-ministro Hélio Costa, do PMDB.

Bolsa Família

Dilma elogiou o desempenho do prefeito de Montes Claros, Luiz Tadeu Leite (PMDB), em relação ao programa Bolsa Família, que cobre praticamente a totalidade das famílias carentes naquela cidade. “Quanto mais eficiente o prefeito, melhor é a cobertura para a população”, observou a candidata, ao afirmar que pretende garantir que 100% das pessoas que precisam, serão beneficiadas pelo Bolsa Família.

O programa, segundo ela, irá continuar enquanto as famílias necessitadas precisarem dessa “rede de proteção social”, que garante condições básicas de vida para famílias necessitadas.

Dilma lembrou ainda que, em Minas Gerais, estado que detém a maior rede viária do Brasil, o governo federal está fazendo investimentos pesados na melhoria das estradas. Há várias obras de restauração ou de construção de pistas.

www.dilma13.com.br

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Lula sanciona Estatuto de Igualdade Racial



Tatiana Damasceno , Agência Brasil


BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou em Brasília, nesta terça-feira, o Estatuto da Igualdade Racial. No texto que foi aprovado pelo Congresso Nacional não há a previsão de cotas para negros em universidades, empresas e candidaturas políticas. O estatuto tem como objetivo promover políticas públicas de combate à discriminação e igualdade de oportunidades.

Entre outros pontos, o estatuto obriga as escolas públicas e privadas de ensino médio e fundamental a ensinar história geral da África e da população negra no Brasil e também reconhece a capoeira como esporte.

O presidente também sancionou na cerimônia o projeto de lei que cria a Universidade Federal da Integração Luso-Afro-Brasileira (Unilab), que será sediada na cidade de Redenção, no Ceará. O foco da instituição será a integração do Brasil com os países da África, especialmente com os membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).


16:10 - 20/07/2010

Fonte: http://jbonline.terra.com.br/pextra/2010/07/20/e200717872.asp

terça-feira, 20 de julho de 2010

Analistas mantêm em 7,2% projeção de crescimento do PIB este ano


Analistas do mercado financeiro consultados pelo Banco Central (BC) mantiveram pela segunda semana seguida a projeção para o crescimento da economia neste ano. A estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, permanece em 7,20%, segundo o boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira (19) pelo BC.

Para 2011, também não foi alterada a projeção de 4,5% para o crescimento do PIB, mantida há 32 semanas. Além da estimativa para o PIB, consta do boletim Focus a expectativa para a produção industrial, que neste ano deve ter crescimento de 12,12%, contra os 11,91% previstos no boletim da semana passada. Para o próximo ano, a previsão de expansão da produção industrial foi mantida em 5%.

A projeção para a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB foi ajustada de 40,85% para 40,90%, em 2010, e de 39,50% para 39,70%, em 2011. A expectativa para a cotação do dólar permaneceu em R$ 1,80, neste ano, e em R$ 1,85, em 2011.

A previsão para o superávit comercial (saldo positivo de exportações menos importações) foi alterada de US$ 15,71 bilhões para US$ 16 bilhões, neste ano, e de US$ 7,83 bilhões para US$ 7,81 bilhões, em 2011. Para o déficit em transações correntes (registro das transações de compra e venda de mercadorias e serviços do Brasil com o exterior) neste ano, o ajuste foi de US$ 47,23 bilhões para US$ 47,46 bilhões. Para 2011, a projeção de déficit passou de US$ 58 bilhões para US$ 60 bilhões.

A expectativa para o investimento estrangeiro direto (recursos que vão para o setor produtivo do país) passou de US$ 34,65 bilhões para US$ 34,30 bilhões, neste ano. Para 2011, foi mantida a projeção de US$ 40 bilhões.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

A competência pedagógica do Espiritismo no desenvolvimento humano I



Sob este título o trabalho de ADALGIZA CAMPOS BALIEIRO nos apresenta subsídios para a construção de um novo olhar relativo à compreensão da vida, nos planos em que ela se manifesta, visando a reconfiguração da realidade, capaz de promover mudanças nas relações entre as pessoas e nas comunidades humanas.

“Em que medida a educação pode ser responsabilizada pela atual situação em que nos encontramos ou, em que medida ela se constitui uma alternativa para a superação da crise social que vivemos hoje?”

É a indagação que nos faz a expositora Adalgiza que coordena um grupo de estudos na sede da Unificação Kardecista de Ribeirão Preto, todas primeiras terças-feiras às vinte horas.

Vamos recordando um tempo de trabalho com educação, porque estivemos na União dos Moços Espíritas, na Rua Nilo Peçanha número 77, onde hoje está a SEJA, Adal, evangelizadores, companheiros e eu, participando de encontros, cursos na cidade de Franca, naquele “parece que foi ontem”, tendo sido, no entanto, por volta de 1963… Quase nada, se considerarmos que, muito mais poderia ter sido mudado, construído e realizado em progresso e evolução em nós, por outros, por todos… Mas, é tempo de semeadura e vamos lá!

Estamos nas casas com grades, cães, medo e insegurança. Procuramos um noticiário e encontramos os problemas das estremecidas relações internacionais, as restrições comerciais e as medidas de contenção. Nossos filhos nem sempre correspondem ao que lhes demos, insatisfeitos e exigentes. As religiões salvacionistas tendo suas igrejas apinhadas de gente que busca a salvação. O Centro Espírita procurado como grande esperança para melhorar a pessoa, a casa dela, o mundo. A terra é prodigiosa, mas, depende do indivíduo e de seu progresso moral, senão o que temos visto são crianças nas ruas, jovens nas drogas, o adulto correndo atrás da subsistência, famílias desestruturadas, idosos abandonados compondo uma grande maioria que perdeu seus valores.

O que fazer ?

Parar, ver como está. Como estão as coisas. Arrumar a casa, realizar a prevenção e promover ações efetivas e humanas que conhecem e aceitam o outro. Aceitar o fato que, biologicamente não é a agressão que define os humanos, mas, o amor. Não é a luta o modo fundamental de relações humanas, mas a colaboração.

Ao comentar a primeira reunião que tivemos, faço o convite para os que se possam estar conosco no próximo 07 de agosto, às 20 horas, na rua Mariana Junqueira n.° 504, e juntos poderemos integrar um grupo interessado em transformAÇÃO

(Jornal Verdade e Luz Nº 187 de Agosto de 2001)

O dever - Lei Moral



A lei moral sinaliza ao ser humano o que deve ou não fazer, e ele só é infeliz quando dela se afasta. ela é a diretriz verdadeira para a felicidade do homem.

O dever é responsabilidade no conjunto das determinações da lei moral, a regra pela qual o homem deve conduzir-se primeiro consigo e depois em conseqüência com seus semelhantes.

O dever inspira os grandes sacrifícios, os puros devotamentos, os grandes entusiasmos.

Ele não é idêntico para todos, variando de acordo com o grau evolutivo de cada um.

Quanto mais a criatura se eleva, mais percebe sua grandeza, majestade, extensão e o seu exercício torna-se agradável, pois, produz alegrias íntimas, sem igual.

Os Espíritos Superiores têm profundamente arraigados em si o sentimento do dever. Sem esforços seguem o seu próprio caminho. Para eles o dever é situação de todos os momentos, a condição indispensável da existência.

Por mais obscura que seja uma criatura, por mais humilde que pareça a sua sorte, o dever cumprido enobrece sua vida, esclarecendo a razão e fortalecendo a alma.

Ele dá a calma interior, serenidade de espírito, mais preciosa que todos os bens da Terra, e que podemos experimentar mesmo estando em meio a grandes provações e infortúnios.

Na ordem dos sentimentos o dever é, às vezes, difícil de ser cumprindo, porque se encontra em oposição às seduções do interesse, O dever íntimo do homem está confiado ao seu livre-arbítrio, por isso, a consciência o adverte e sustenta, mas ele muitas vezes fraqueja diante dos enganos da paixão, entretanto esse dever quando com responsabilidade , eleva o homem.

Mas como determinar com exatidão? Saber onde começa, e onde acaba o dever?

Começará precisamente no ponto em que ameaçamos a felicidade ou a tranqüilidade do nosso próximo, e termina no limite que não desejaríamos ver transposto em relação a nós.

O homem deve amar o dever, não apenas porque ele o livra de males maiores na vida, e dos quais a Humanidade não está isenta, mas porque transmite ao Espírito o fortalecimento necessário para que possa progredir.

Dever não tem limites e o homem que cumpre o seu dever ama a Deus acima de todas as criaturas, e as criaturas mais que a si mesmo, e ao fim de cada dia pode dizer: hoje consegui vencer-me, assisti, consolei, esclareci meus irmãos, cumpri o meu dever!

Bibliografia:
•Depois da Morte - Léon Denis - cap. XLIII
•O Evangelho Segundo o Espiritismo - A. Kardec - cap. XVII, item 7
(Jornal Verdade e Luz Nº 188 de Setembro de 2001)

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Brasil bate recorde e gera 1,5 milhão de empregos formais no primeiro semestre


A economia do país teve uma geração histórica de empregos formais no semestre, com 1,473 milhão de vagas criadas neste período, batendo o desempenho registrado em 2008, quando foram criados 1,361 milhão de postos de trabalho. Os números fazem parte do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgado hoje (15) pelo Ministério do Trabalho.

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, prevê que em todo o ano de 2010 sejam gerados 2,5 milhões de empregos formais.

No ano passado, foram criados 299 mil postos de trabalho, o pior resultado desde 1999, início da série histórica do Ministério. Somente em junho o Caged registrou a criação de 212.952 postos de trabalho, o segundo melhor resultado para o mês na série histórica deste cadastro.

Em 12 meses, o Ministério contabilizou a criação de 2,168 milhões de vagas, o que significa uma expansão de 6,7% sobre a base de empregados formais do país.

Ainda de acordo com o Ministério, a maior taxa (11,98%) na geração de empregos ocorreu no setor agrícola no semestre. Em termos absolutos, porém, a maior contribuição para o aumento dos empregos formais veio do setor de serviços, com a criação de 490.028 vagas em seis meses.

Domingueira Clube Náutico de Praia Brava

video

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Estatuto da Criança e do Adolescente é referência e será aperfeiçoado pelo governo


A Coordenadora do Programa de Proteção à Infância do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Casimira Benge, afirmou nesta terça-feira (13) que o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) é uma das maiores referências mundiais de políticas públicas sobre a temática.

Casimira, que participou do seminário "Os 20 Anos do ECA e as Políticas Públicas: Conquistas e Desafios", promovido pela Câmara dos Deputados, parabenizou o governo brasileiros pela imensa rede de proteção à criança instalada no país a partir da aprovação do estatuto.

"O ECA representa uma verdadeira realização dos direitos da criança e do adolescente. Ele revolucionou a forma como as autoridades públicas brasileiras olham para as suas crianças. Por tudo isso, o ECA é tido como uma referência para outros países que ainda estão atrasados na defesa desses direitos", afirmou Casimira. Dados da Unicef, apresentados por Casimira, apontam que 98% do território brasileiro possui cobertura dos conselhos tutelares. No total, cerca de 100 mil pessoas trabalham diretamente na rede de proteção às crianças e adolescentes no Brasil, informou. Ainda segundo a Unicef, dos 5.575 municípios brasileiros, 5.084 deles possuem conselhos tutelares.

Combate à violência

Presente no seminário, a ministra do Desenvolvimento Social e Combate a Fome, Márcia Lopes, anunciou que o presidente Lula assina nesta quarta-feira (14) um projeto de lei para alterar o estatuto no sentido de coibir as agressões físicas. "É uma mensagem que altera o Estatuto no sentido de garantir às crianças e adolescentes a convivência livre de qualquer castigo corporal ou crueldades psicológicas. A proposta trata da proteção integral da criança, inclusive do ponto de vista físico", explicou a ministra.

Aperfeiçoamento

O presidente da Comissão de Legislação Participativa da Câmara, deputado Paulo Pimenta (PT-RS), citou vários avanços obtidos com o ECA. Para o parlamentar, o aniversário dos 20 anos de vigência do estatuto é um momento mais do que oportuno para se discutir caminhos para o seu aperfeiçoamento. "Nada mais justo que façamos um balanço do estatuto para que possamos comemorar os avanços e, ao mesmo tempo, identificar as lacunas que podem ser aperfeiçoadas", disse.

Mortalidade Infantil

Autor do requerimento para a realização do seminário, o deputado Pedro Wilson (PT-GO), que presidiu a mesa de abertura do evento, afirmou que em 20 anos, as políticas públicas de proteção às crianças, encabeçadas pelo ECA, foram capazes de reduzir a mortalidade infantil em cerca de 60% no Brasil. Outro impacto importante, segundo o parlamentar, foi no combate ao trabalho escravo, onde houve uma redução de 50%. Segundo o parlamentar, os programas sociais do governo, como o Bolsa Família, são fortes aliados na garantia dos direitos básicos dos menores.

O deputado Luiz Couto (PT-PB), reconhece os avanços do estatuto, mas chama atenção para o grave quadro de vulnerabilidade social em que estão submetidas centenas de crianças brasileiras. O combate à pedofilia na Internet, segundo o petista, também é um grande desafio para o país. "Os avanços são incontáveis, mas ainda temos muito o que fazer. Temos que combater a pedofilia, investir mais na educação infantil para garantir um índice maior de qualidade da educação brasileira", destacou.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

O Jovem Espírita se sente mais responsável diante das transformações do mundo?


Eis uma questão a ser pensada e respondida por cada um de nós à nós mesmos; a juventude de hoje, é filha de uma juventude marcada por estilos, filosofias de vida, e ideais políticos fortes; ideologias que atravessaram décadas inteiras e que dificilmente serão esquecidas. E hoje?

– Hoje observamos uma diversidade conturbada de idéias e estilos de vida, o jovem não possui memória política, o próprio andamento diante da evolução do nosso planeta tem nos impulsionado a isso. As informações chegam cada vez em velocidade maior, a escolha por uma profissão e um planejamento familiar se tornam cada vez mais difíceis, e até raros.

No “Jogo da Vida”, o jovem aprende que o companheiro ao lado na escola, ao invés de seu companheiro e “amigo”, é um concorrente que pode tomar sua vaga em um Vestibular; o jovem aprende que se ele não for o melhor em sua profissão, outro irá ocupar seu lugar por um salário menor; os meios de comunicação avançados fazem com que os contatos pessoais se tornem cada vez mais “mecânicos”; a formação e definição de uma personalidade no indivíduo se torna cada vez mais difícil, estamos vivendo uma época de opções muito variadas; as músicas que hoje tocam nas rádios, daqui à algumas semanas nunca mais irão tocar, e você nem se quer irá lembrar delas, com a moda acontece a mesma coisa, e isso pode ser estendido ao que vem acontecendo em vários outros âmbitos, como por exemplo a escolha de uma profissão onde o jovem tem que adequar suas vocações às necessidades do Mercado de Trabalho. Só que a cada dia que passa essa necessidade muda; o mundo gira constantemente; os valores se desfazem, a ciência avança parecendo não ter limites. E nós “Jovens Espíritas” como estamos?

Claro que esta pergunta não se estende apenas aos jovens, mas sim a toda a família que carece de bases sólidas para caminhar em harmonia.

Será que estamos buscando realmente viver em harmonia com o próximo?

É certo que nós como todos os outros humanos temos obrigação de acompanhar o desenvolvimento do nosso planeta nessa fase de transição! Mas isso não significa que tenhamos de ser iguais aos outros; se tivermos que competir para sobreviver, que possamos competir com dignidade e justiça, se tivermos de fazer uma escolha importante, que possamos escolher o que é melhor para nós, mas que pode ser melhor para as pessoas à nossa volta também; se tivermos que nos embalar em ritmos novos, que possamos escolher o que há de melhor e não o mais promiscuo.

Enfim, devemos buscar no aprendizado espírita, em suas bases, em Kardec, toda a sabedoria dos Espíritos Superiores e aplicarmos seus ensinamentos em nossa vida cotidiana, sempre procurando levar Jesus como exemplo de Vida e Moral.

E nunca esquecer que o mais coerente na vida é filtrar tudo o que nos chega, e explorar o que há de melhor em nós mesmos, e nunca deixar tudo isso guardado em uma gaveta, mas sim aplicar isso no nosso dia a dia, e em nossas vidas.

sábado, 10 de julho de 2010

Domingueira no clube Náutico de Praia Brava 18/07



quinta-feira, 8 de julho de 2010

Congresso aprova maior remanejamento de verbas do PAC


O Congresso Nacional aprovou hoje o Projeto de Lei do Congresso Nacional 3/10 que aumenta de 25% para 30% o limite de remanejamento de recursos entre projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O Executivo argumenta que a margem de remanejamento já era de 30% em anos anteriores e que esse percentual permite uma alocação mais eficiente dos recursos orçamentários, beneficiando os projetos que cumprem o cronograma.

A oposição quis evitar que o texto fosse genérico e que qualquer projeto pudesse entrar no remanejamento. Por esse motivo, o Congresso aprovou uma lista de ações que poderão receber recursos.

Também foi aprovada uma exigência de que o Executivo envie, a cada três meses, um relatório sobre esses remanejamentos à Comissão Mista de Orçamento. Essa regra foi incluída pelo relator do projeto, deputado Carlos Abicalil (PT-MT).

Créditos

Na sessão de hoje, o Congresso também aprovou projeto (PLN 7/10) prevê crédito suplementar de R$ 3,47 bilhões. A maior parte dos recursos vai para o Ministério dos Transportes, que terá R$ 2,32 bilhões para construção e manutenção de rodovias. Já a Secretaria Especial de Portos receberá R$ 74 milhões para dragagem de diversos portos.

O Ministério de Minas e Energia será contemplado com R$ 10,29 milhões em levantamentos geológicos. Já o Ministério da Integração Nacional receberá R$ 80,4 milhões para projetos de irrigação e barragens; e o Ministério das Cidades, R$ 624 milhões para obras de saneamento.

O relator da proposta, deputado José Rocha (PR-BA), ressaltou que estão previstas obras para implantação de sistema de esgotos e abastecimento em seu estado, rodovias e linhas de trens urbanos. "Foram mais de R$ 300 milhões para a infraestrutura da Bahia", disse.

Também foi aprovado o PNL 24/10, que prevê crédito suplementar de R$ 9,6 milhões para projetos de infraestrutura do Ministério do Turismo. Os recursos foram remanejados dentro dos próprios programas do órgão.

Como foram aprovados pelo Congresso, os textos seguem para sanção presidencial.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Em sete anos, mais jovens negros entraram nas universidades do que nos últimos 20 anos


O governo Lula implantou o sistema de cotas para negros e pardos nas universidades federais brasileiras em 2004, na Universidade de Brasília (UnB). Na época, menos de 2% do percentual de estudantes universitários brasileiros eram negros, apesar de representarem mais de 46% da população brasileira. Hoje, já são quase um milhão de estudantes negros em cursos superiores e 17 universidades federais mantém sistema de acesso por meio de cotas.

Pesquisa realizada pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) indica que, durante os últimos sete anos, mais jovens negros ingressaram em universidades públicas do que nos vinte anos anteriores. Para o militante do movimento negro, Paulo Ramos, “as oportunidades para a juventude negra foram ampliadas durante o governo Lula em função das políticas sociais”.

Em encontro com negros e negras do PT, em Brasília, a candidata do oPT, Dilma Rousseff, defendeu a manutenção das políticas afirmativas e de cotas. Segundo ela, nos últimos anos o governo teve grandes avanços nesse campo, mas é preciso fazer mais. “O que nos une é o compromisso de que vamos continuar fazendo políticas afirmativas e de cotas, queiram eles ou não queiram”, afirmou Dilma.

Cotas no ProUni

Só no ano passado, com a política de cotas e com o Programa Universidade para Todos (ProUni), aumentou em quase 50 mil o número de alunos negros nas universidades brasileiras. No primeiro semestre de 2009, houve um acréscimo de 5% no número de estudantes negros nas instituições de ensino superior.

Em sua primeira edição, no ano de 2004, o ProUni foi o principal responsável pela inserção maciça dos afrodescendentes, ao oferecer 46 mil bolsas de estudo para o sistema de cotas, o que significou 41,5% das 112 mil vagas disponibilizadas pelo programa.

O ex-diretor do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Carlos Henrique Araújo, defende o sistema de cotas, tanto nas universidades públicas, quanto nas universidades privadas, por meio de isenção fiscal. “O fenômeno de exclusão educacional atinge de maneira muito mais forte o aluno negro. A peneira é fechada para todos e muito mais fechada e seletiva para os alunos negros", revela o diretor.

Depois da universidade

Os estudantes que entraram na universidade por ação afirmativa têm direito, desde 2009, a 600 bolsas oferecidas pelo Programa Institucional de Iniciação Científica (Pibic), no valor de R$ 360 por mês, pagos durante um ano. Em maio, esse número foi ampliado para 800 bolsas.

Além disso, 250 alunos oriundos do ProUni e de outras ações afirmativas serão beneficiados pelo programa para concessão de bolsas de mestrado e doutorado para apoiar a produção científica de estudantes negros. O programa foi criado este ano e as bolsas serão distribuídas neste semestre.



www.dilmanaweb.com.br

segunda-feira, 5 de julho de 2010

A vida futura


"Tornou pois a entrar Pilatos no pretório, e chamou a Jesus, e disse-lhe: Tu és o Rei dos Judeus? Respondeu-lhe Jesus: O meu reino não é deste mundo" (João - cap. XVIII, 33-34)

Com estas palavras, Jesus se refere claramente à vida futura, fim a que se destina a humanidade. Sem a vida futura, a maior parte dos seus preceitos de moral não teriam razão de ser. A continuidade da vida, após a morte do corpo físico, é o ponto central do ensino do Cristo.

Sem compreendermos a continuidade da vida, depois da morte do corpo material, não há como entender as afirmativas de Jesus no Sermão da Montanha. As compensações prometidas aos sofredores em geral, não se cumprem nesta dimensão física. Em algumas passagens do Evangelho, Jesus fala da felicidade que, no plano espiritual, aguarda os que fizerem o bem na Terra, e do sofrimento reservado aos que viveram no egoísmo, sem se preocuparem com o seu semelhante. No quadro do juízo final, o Mestre afirma que todo aquele que ajudou o próximo necessitado: deu de comer ao faminto, vestiu o nu, visitou o encarcerado, enfim todo bem praticado aos irmãos necessitados seria como se a Ele tivesse feito. E estes usufruirão felicidades. E os que agiram de modo contrário, deixando de dar assistência aos necessitados, seria como se a Ele mesmo tivessem negado o socorro. E estes sofrerão as conseqüências de sua omissão, da falta de amor e solidariedade. Também na Parábola do rico e Lázaro, Jesus informa a desigualdade de situações em que se acham no plano espiritual, as duas personagens, em conseqüência do modo como viveram aqui na Terra.

As pessoas, no tempo de Jesus, tinham idéias vagas e imprecisas sobre a vida futura. Acreditavam na sobrevivência da alma, mas não sabiam como isto podia acontecer. Considerando o estado evolutivo das pessoas daquele tempo, Jesus não podia falar toda a verdade com relação a vida futura, pois não tinham condições de compreender. "Conformando o seu ensino ao estado dos homens da época, Jesus evitou lhes dar o esclarecimento completo, que os deslumbraria em vez de iluminar, porque eles não o teriam compreendido. Ele se limitou a colocar, de certo modo, a vida futura como um princípio, uma lei da natureza, à qual ninguém pode escapar. Todo cristão, portanto, crê forçosamente na vida futura, mas a idéia que muitos fazem dela é vaga, incompleta, e por isso mesmo falsa em muitos pontos". *

O Espiritismo traz grande contribuição para melhor compreendermos a vida após a morte do corpo físico. Não são hipóteses; não são apenas crenças baseadas em suposições. São fatos produzidos pelos Espíritos, aqueles mesmos que viveram aqui no plano físico e que, agora, na outra dimensão, vêm nos esclarecer o que passou e o que passa com eles. Esses fatos estão bem documentados em muitos livros, amplamente comprovados, e continuam acontecendo. Todo estudioso e observador sem preconceito constatará esta realidade. Com o estudo dos fenômenos produzidos pelos Espíritos, através dos médiuns, passamos a saber, efetivamente, que a vida continua depois da morte do corpo material, e, inclusive, como as coisas podem acontecer. Em conseqüência, "a idéia clara e precisa que se faz da vida futura dá uma fé inabalável no porvir *. E isto produz modificações enormes sobre a moralização das criaturas porque muda o ponto de vista pelo qual se encara a vida terrena.

No subtítulo "O Ponto de Vista", cap. II, do Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec nos dá uma bela aula sobre a questão dos valores. Valor é o que orienta a nossa vida. Conforme a tabela de valores que adotamos é o modo como administramos nossa vida. A pessoa que tem uma crença vaga na imortalidade tende a seguir o ditado popular: "Vale mais um pássaro na mão do que dois voando". Ante uma expectativa duvidosa sobre a vida futura, trata de gozar o presente, buscando a satisfação dos seus apetites, custe o que custar. É o mundo competitivo que vivemos. A lei humana que deveria disciplinar e organizar a vida em sociedade acaba não sendo obstáculo aos astuciosos, bastante espertos e inteligentes para burlar essas regras sociais, só sendo pegos em atividades lesivas ao bem comum, em raras oportunidades. A pessoa pode ostentar um rótulo religioso, aparentar crença na imortalidade até por conveniência, mas a maneira como efetivamente vive demonstra a falta de sinceridade, ou de convicção nessas crenças.

Quem sabe que a vida continua, após a morte do corpo físico, e que a Justiça Divina, a Lei de Causa e Efeito, não dormem, e que ninguém transgride impunemente essas Leis, por certo se orientará por outra tabela de valores.

Os bens do Espírito - o saber e as virtudes - passam a ser considerados, e mesmo buscado como os bens maiores.

O presente é resultado do passado, assim como no presente estamos construindo o futuro. O Criador nos dá liberdade para escolher caminhos, e nos faz responsáveis por tudo que realizamos. É uma questão de inteligência evitar aquilo que nos causa algum prazer no presente, mas que compromete o futuro. "Essa visão de conjunto os homens do tempo do Cristo não podiam compreender, e por isso o seu conhecimento foi reservado para mais tarde". *

* - Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. II - Allan Kardec.

(Jornal Verdade e Luz Nº 176 de Setembro de 2000)

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Ideb sobe para 4,6 e aponta melhoria na educação pública


O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) subiu de 4,2 pontos em 2007 para 4,6 em 2009, segundo divulgou hoje (1°) o Ministério da Educação (MEC). O resultado supera em 0,4 pontos a meta prevista para o ano passado (4,2).

O indicador foi criado em 2005 e funciona como um termômetro da qualidade do ensino público. O Ideb varia de zero a dez e a meta é que o país atinga a nota 6 até 2022.

O índice é aferido a cada dois anos e há metas estabelecidas para cada período. Ele é calculado com base na nota obtida pelos alunos na Prova Brasil e dos índices de reprovação. A meta prevista para as séries iniciais do ensino fundamental em 2009 era 4,2, resultado que já foi atingido em 2007. A nota 4,6 era a meta prevista para 2011.

O Ideb atribui uma nota para cada escola, assim como para as redes municipais e estaduais, que precisam cumprir metas bienais para melhorar a qualidade do ensino. É a partir dessas avaliações que é calculada a média nacional.

O ministério também atribui um Ideb para os anos finais do ensino fundamental e para o ensino médio. Nas séries finais do ensino fundamental, o indicador subiu de 3,8 em 2007 para 4,0 em 2009. A meta para o ano passado era 3,7.

Já no ensino médio, o crescimento foi menor. O Ideb passou de 3,5 em 2007 para 3,6 em 2009. Mas atingiu a meta prevista para o período, que era de 3,5 pontos. Na próxima semana o MEC vai divulgar o Ideb dos estados, municípios e escolas.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Dieese: Desemprego cai e emprego e renda continuaram a subir em maio


A taxa de desemprego continuou caindo e o rendimento médio dos empregados com carteira assinada continuou subindo, em maio, nas sete regiões metropolitanas pesquisadas pelo Dieese.

Comparativamente a abril, o número de desempregados foi reduzido em 38.000, enquanto o de novos contratados chegou a 64.000 apenas nos setores industrial e de serviços.

Na Região Metropolitana de São Paulo a taxa de desemprego chegou ao menor índice apurado em maio desde 1991. Caiu também em Recife e Salvador, manteve-se estável em Porto Alegre e Fortaleza e aumentou somente no Distrito Federal.

A renda média dos assalariados subiu 0,6%, de abril para maio. Foi para R$ 1.243.

Ontem o Banco Central projetou em 7% a taxa média de desemprego neste ano. Se for confirmado, será a menor taxa anual apurada pelo IBGE desde 2002. Para o Banco Central, “a evolução dos indicadores do mercado de trabalho segue compatível com o dinamismo da atividade econômica, registrando-se recuo na taxa de desemprego e melhora qualitativa na geração de postos de trabalho, expressa pela substituição de empregos informais por postos com carteira assinada”.

Produção industrial tem a maior alta desde 1991, aponta IBGE


A produção industrial acumulou crescimento de 17,3% entre janeiro e maio deste ano, a maior expansão da série histórica iniciada em 1991. Nos últimos 12 meses, a alta ficou em 4,5%, a maior expansão desde novembro de 2008. Em abril, o desempenho do setor havia sido negativo em 0,8%. Na comparação com maio de 2009, a expansão foi de 14,8%.

A estabilidade de maio resulta de um crescimento da produção de bens de capital (máquinas e equipamentos) de 1,2% frente a abril. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Na comparação com maio do ano passado, das 27 atividades pesquisadas, 23 expandiram a produção. Os destaques foram as indústrias de veículos automotores (29%), máquinas e equipamentos (39,1%), metalúrgica básica (29,5%), produtos de metal (33,1%), indústrias extrativas (15,7%), alimentos (6,7%) e outros produtos químicos (12,8%).

Nesses ramos, os produtos com maior influência foram automóveis, refrigeradores, placas de aço, minério de ferro, açúcar-cristal, sucos de laranja, herbicidas e tintas e vernizes para construção. Para o IBGE, o bom desempenho da indústria frente a maio do ano passado ainda é reflexo da retração imposta pela crise internacional de 2008.

Para o deputado Vignatti (PT-SC), integrante da Comissão de Finanças e Tributação, a expectativa é de que a indústria cresça ainda mais ao longo deste ano. "Nos primeiros anos do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o crescimento se deu a partir da capacidade já instalada das indústrias. O que percebemos agora é o crescimento a partir de novos investimentos. A indústria está ampliando galpões e pavilhões, comprando máquinas e equipamentos novos. O resultado disso são empregos de melhor qualidade e mais duradouros", disse.

Lula sanciona PL e Petrobras está pronta para explorar petróleo do pré-sal


O presidente Lula sancionou nesta quarta-feira (30) projeto de lei que, na prática, cria as condições para que a Petrobras possa explorar as novas jazidas de petróleo da camada pré-sal. Participaram da cerimônia realizada no Centro Cultural Banco do Brasil, em Brasília, o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, e o ministro de Minas e Energia, Márcio Zimmermann.

O projeto prevê cessão onerosa por parte da União à Petrobras de até 5 bilhões de barris de petróleo e gás natural, em áreas ainda não concedidas do Pré-sal. O pagamento dos barris será feito preferencialmente com títulos da dívida pública.

A lei nasceu de projeto enviado pelo governo ao Congresso em agosto de 2009. Para o Poder Executivo, conforme exposição de motivos que acompanhava o texto, a proposta criava “as condições para a exploração do pré-sal, otimizando a participação da sociedade brasileira nas receitas decorrentes das riquezas representadas por esta importante e singular descoberta É indiscutível que a imediata exploração dessas áreas pela Petrobras é vantajosa para a União, posto que permite à sociedade, em última instância, antecipar o usufruto dos benefícios representados pelo pré-sal”.